21 de abril de 2011

Diário

Basicamente: já cá não posto há mais de 2 meses, e agora que pseudo-voltei, é para escrever um desabafo. Vi uma amiga fazê-lo agora e deu-me forças para fazer também. Já era para o ter feito há poucos dias, mas quando cheguei ao pc umas... horas depois de querer fazê-lo, a 'vontade' já não era a mesma e foi-se.

Mas agora é. Já não há muita gente que agora ligue a blogs, flogs, etc etc, agora ou é facebook ou é cada um ver da sua vida. Ou ambas. Anyway, também não espero muitos 'espectadores' para este post e se calhar até me sinto melhor assim, porque isto é apenas algo que quero mandar para fora, não preciso exactamente que as pessoas o leiam para me sentir melhor ou algo, não passará de um pensamento que passará para o teclado. Portanto, lamento muito mas se não se importarem, se se derem ao trabalho de ler isto, agradeço que não façam perguntas. Podem até nem comentar que juro que não me importo xD




Porque é que a vida é assim?

Porque é que crescemos e a vida vai mudando constantemente? Claro, ganhamos maturidade, vamos fazendo novos amigos com o tempo, vamos-nos apaixonando (ou não), vamos percebendo coisas que não percebiamos ou que pensávamos que eram coisas completamente diferentes. Isto tudo, é cada um de nós. Todos passamos por tudo o que acabei de dizer agora, somos todos iguais nesse aspecto.

Mas uns piores que outros, e outros melhores que outros. Porquê? Porque é que uns mais crescidos são autênticas crianças (e digo isto no mau sentido) e outros mais pequenos são mais adultos? Porque é que vamos fazendo novos amigos, se já tinhamos amigos antes? Porque é que nos apaixonamos e porque é que se apaixonam por nós? Porque é que o que eu esperava que fosse assim, na verdade é assado?

É. Infelizmente, é a vida. A vida é um mar de rosas, é. Mas só quando somos crianças, em que para nós a pior coisa que nos pode acontecer é tirarem-nos o chupa. A partir dai, a vida é lixada. Enfrentamos com escolhas para o futuro, enfrentamos com liberdade, enfrentamos com decisões que podem até mesmo mudar a vida aos outros. E porquê.

No meio disto tudo, desviei-me se calhar um bocado do assunto. Deixei claro o que já qualquer pessoa sabe, que a nossa vida de agora não é a mesma que tinhamos há 10 anos, ou até mesmo há 1 ano. Fomos mais tristes ou mais felizes no passado, isso depende de cada pessoa e como tal, de cada vida.

Isto tudo é porque, agora, eu entro no meu MSN e vejo os grupos que tenho lá. O grupo dos meus melhores amigos, que são os mais importantes para mim e sem o qual não sou nada capaz de viver sem eles (não dizendo que o resto também não importa para mim claro, todos os meus amigos são-me especiais e estarão para sempre no meu coração, sem sombra de dúvidas), o grupo da família, o grupo das pessoas que me fizeram sofrer no passado e outras que não sei quem são (está tudo bloqueado, só sairão do meu MSN quando um dia mudar de email), e os grupos dos amigos. Olho para os grupos. Olho para as pessoas, e penso num momento que já tenha tido com elas. Ou em vários, dependendo da proximidade.

Mas olho mais para o grupo dos melhores amigos. Penso em tudo o que já fizeram por mim, e, sem querer entrar num momento de egocentrismo, tudo o que já fiz por eles. Penso em coisas boas pelas quais já tenha passado com eles, e coisas menos agradáveis. Penso como era a nossa relação quando nos conhecemos, e como é a nossa relação agora. Penso no que mudou e no que não mudou.

E não estou feliz.

Já perdi muitas amizades ao longo do tempo, sempre as quais me fizeram sofrer. A minha primeira amizade foi de uma amiga que só gostava de mim porque eu era inteligente (para quem não sabe, saltei do 1º pro 2º ano, so yeah) e portanto só se queria aproveitar de mim para os trabalhos dela e assim. Assim que saltei de ano nunca mais nos falámos portanto pronto. Depois uma amiga no 3º ano, que no 4º ia mudar de escola/cidade, no intervalo fui levá-la ao carro e disse-lhe "vou ter saudades tuas" quase em lágrimas, ao qual me respondeu com um sorriso traiçoeiro "eu não" e foi-se embora. Depois 6º ano, um grupo de 5 amigas em que 2 fingiam ser muito amigas mas não o eram, 2 só eram amigas porque não gostavam do resto da turma e a outra era a pega por assim dizer. Estas 3 últimas nunca mais as vi depois de ir para o 7º ano.

Depois 7º ano. Passei a 3 amigas, que progrediram para 4, que progrediram para 5. Dessas 5, só preservo uma até hoje, que é a minha melhor amiga, e que não me arrependo de forma alguma tê-la conhecido, e que agradeço por me aturar desde há já quase 7 anos e meio. As outras todas, foram-se. Foram amizades que se foram e que não estou certa de chamar de 'amizades', sinceramente nunca considerei tal coisa, porque eu tratava-as de minhas amigas, mas acho que nunca acharam o mesmo de mim.

E depois, intervalo do 10º para o 11º ano, em que entrei para a comunidade do cosplay. Não tenho quaisquer palavras, desde o 1º dia em que me integrei, fui bem-aceite por bastantes pessoas e sempre irei estar grata por me aceitarem como sua amiga, desde os que conheço desde 2007, até os que vou conhecendo nos eventos mais recentes.

Portanto, posso dizer sem medo, que tive um passado menos distante mais feliz que o passado mais distante, sem dúvida. Fiz amigos maravilhosos, muitos dos que ainda mantenho e adoro.

Mas não é o mesmo. Digo isto porque há amizades que já foram melhores, mas provavelmente por erros meus quem sabe, foram decrescendo e agora não tenho a certeza se ainda existe a amizade ou não. Passo os meus dias a pensar nisso, a pensar se eu posso mudar algo, e se eu posso mudar como é que o farei. Sim, porque magoa mais estar na ignorância do que saber as verdades, mesmo que duras. Por isso que não sei, e por isso que quero saber se algum dia voltará a ser tudo como antes. Pois eu espero que sim.


Esta mensagem de certeza que nunca será lida por quem gostaria que a lesse. A outros, a quem não é isto dirigido mas de certa forma fazem parte deste 'assunto', só quero dizer uma coisa: façam o favor de pensar e de mostrar que querem agir. Se a noz não abre à primeira, tem que se ir tentando até que se abra, mesmo que seja pouco de cada vez. Provavelmente que estes outros também nunca lerão isto, mas a mensagem fica cá à mesma.






E pronto, era tudo. A quem teve a paciência de ler: credo que vocês são doidos D: e lamento pelo enorme desabafo, disse ai coisas que provavelmente poderiam nem estar ai mas pronto também não apetece editar, etc etc, what's done is done. Queria mandar isto para fora, já o fiz, vou voltar à minha vida.

3 comentários:

  1. Só estive contigo por breves momentos no Vasco da Gama, mas epá: *hug*!

    ResponderEliminar
  2. Eu li, sou doido, awesome~

    Anyway, já te disse isto montes de vezes, mas vou relembrar-te na mesma: eu estou sempre aqui para o que for preciso (menos emprestar-te dinheiro. é a vida :c )

    ResponderEliminar